Continue reading " />

Tablet 100% brasileiro

A Positivo falou bastante em produzir tablets no Brasil, mas foi a mineira MXT Industrial que, sem falar muito, apareceu com o primeiro modelo 100% fabricado no País: o i-MXT.

O tablet é voltado para o mercado corporativo. O funcionário pode levar a qualquer lugar para conectá-lo com computadores, telas e periféricos como leitores de cartão de crédito ou de códigos de barra.

Como segurança, traz um GPS interno que pode ser rastreado mesmo quando o aparelho está desligado.

Características

O tablet conta com tela touchscreen de 7″,  roda sistema operacional Android 2.2 e traz 512 MB de memória interna – que pode ser ampliada para até 32 GB, utilizando microSD Card. Traz ainda duas câmeras – frontal e traseira – e receptor de TV Digital.

Sua principal vantagem está no número de conexões: 3 portas USB, HDMI, Ethernet (internet banda larga via cabo), portas seriais, além de 3G, Wi-Fi e Bluetooth.

Como desvantagem, já dá para perceber que ele é mais ‘gordinho’ que os demais: tem 3 cm de espessura e 650 gramas. E também é mais lento, com processador de 800 MHz e memória RAM de 512 MB.

A empresa solicita em seu site que o interessado entre em contato para fazer um orçamento de acordo com as necessidades. Mas o site Gizmodo diz que deve custar em média entre R$ 1.600 e R$ 2 mil – já considerados os altos impostos brasileiros.

Vale lembrar que está em tramitação no Congresso um projeto de Lei que prevê incentivo fiscal para esse tipo de equipamento.

Planos

De acordo com a MXT, foram investidos quase R$ 4 milhões no desenvolvimento do produto, que tem lote inicial de 10 mil unidades. A estimativa de vendas para o próximo ano, no entanto, está em torno de 250 mil a 300 mil equipamentos vendidos.

Após a consolidação no mercado brasileiro, a empresa pretende exportar o i-MXT para outros 12 países. Para isso, afirma contar com uma capacidade instalada de 6 milhões de unidades por ano.

Fonte: Estadão

Nossa Loja Virtual