Continue reading " />

Secult promove estudo para adquirir o acervo do Minimuseu Firmeza

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará torna pública a intenção de adquirir as mais de 300 obras de artes plásticas que compõem hoje o acervo do Minimuseu Firmeza, pertencente aos artistas plásticos Nilo e Nice Firmeza. A decisão foi tomada após o anúncio feito pelo artista na última terça-feira, 20, de que pretende repassar as obras para o poder público.

Duas comissões técnicas foram formadas pela Secult para viabilizar a aquisição. A primeira delas irá catalogar e avaliar as obras do acervo. É formada pelos professor Carlos Macêdo, Eduardo Eloy e Ana Maria Martins, técnicos da Secretaria, além de Fernando França, presidente do Fórum Estadual de Artes Visuais. O prazo para essa avaliação é de 15 dias.

De acordo com o secretário da Cultura, Auto Filho, a intenção é adquirir as obras pelo valor estipulado pelo artista, que há 41 anos reúne e mantém o acervo, tido como um dos mais importantes das artes plásticas cearenses. Entre as obras, quadros de Antônio Bandeira, Aldemir Martins, Stênio Burgos, Raimundo Cela e do próprio Estrigas.

A segunda comissão terá um enfoque museológico e irá avaliar que prédio estadual tem condição de abrigar o Minimuseu Firmeza. A comissão é formada pela diretora do Museu do Ceará e Museu Sacro São José de Ribamar, Cristina Holanda e pela arquiteta Lídia Sarmienti. Uma primeira orientação é avaliar o prédio da antiga Capitania dos Portos (localizado próximo ao Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, nos cruzamentos das ruas Dragão do Mar e Almirante Jaceguai). Além da avaliação, a comissão irá elaborar um projeto de adequação do prédio para receber o Minimuseu.

Após os estudos, a Secretaria da Cultura irá elaborar o projeto de aquisição das obras e reforma da nova sede, que deve funcionar como um novo equipamento cultural ligado à Secult voltado para as artes plásticas e aberto ao público.

Fonte: Secult

Nossa Loja Virtual