Continue reading " />

Presídio feminino incentiva leitura entre detentas em Fortaleza

A Biblioteca do Instituto Penal Feminino Desembargadora Auri Moura Costa, em Fortaleza, dobrou de tamanho em menos de dois anos de funcionamento. O motivo: a doação de instituições, pessoas físicas e parceiros. Inaugurada em 2009, a biblioteca possuí hoje um acervo de 4.800 volumes.

Na fundação, eram dois mil livros em toda a biblioteca, construída com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado (Secult). De acordo com a Sejus, a biblioteca tem uma média mensal de empréstimos de 500 livros. O número foi possível por causa das doações, realizadas por empresas e entidades da sociedade civil

As obras entram para o acervo da Biblioteca Marieta Cals, que atende as 524 internas do presídio feminino, em Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Este mês, a
Fundação Edson Queiroz fez a doação de 1.300 livros, entre obras de Direito e obras diversas, para o Instituto Penal Feminino.

Recentemente, a Associação Narcóticos Anônimos e a Igreja Missão Amiga também fizeram doações de livros para a biblioteca. Entre os títulos preferidos das internas estão os livros de romance, auto-ajuda e os infantis.

Para a interna Cyntia Corvelo, 40, responsável pelo acervo, nunca é tarde para doar mais livros. “Dentro de um presídio, o livro tem diversas funções. Ele é um portal para outras
realidades, então alivia o sofrimento. É um espelho positivo, onde podemos buscar outras experiências, como exemplo para nos tornar pessoas melhores”.

O livro, na avaliação de Cyntia, é o companheiro que traz palavras de conforto em momentos de solidão e possui a finalidade de ensinar. Dentro da unidade, Cyntia cuida do Projeto Roda de leitura, onde o livro é usado como ferramenta. “Muitas vezes, o potencial criativo das presas fica atrofiado . A criação da roda de leitura fez com que aumentasse o índice
de livros lidos e trouxe uma resposta positivas das participantes”.

A intenção da Secretaria de Justiça, agora, é implementar uma biblioteca na Casa de Privação de Liberdade Provisória Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga, também na RMF. Para isso, a Sejus já está arrecadando doações. Pessoas interessadas em colaborar, podem entrar em contato com as direções das unidades penais.

Serviço
O Instituto Penal Desembargadora Auri Moura Costa (IPF) atende à população através do telefone (85) 3101.2158. E a Casa de Privação Provisória de Liberdade II atende pelos fones (85) 3377.1812 e (85) 3377.1664.

Fonte: Blog do Galeno

Nossa Loja Virtual