Continue reading " />

O projeto Um livro, Um Twitter promove leitura no Reino Unido

No ano passado, os moradores de Edimburgo se envolveram com a aventura de Arthur Conan Doyle, O Mundo Perdido. No mês passado foi a vez de os dublinenses participarem de uma leitura coletiva de O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde, e os leitores da cidade litorânea britânica de Brighton estão atualmente envolvidos com o romance de Ian Fleming, Moscou Contra 007, uma aventura de James Bond. Agora um novo projeto espera levar a iniciativa “um livro, uma cidade” ao próximo passo, propondo ao mundo todo a leitura do mesmo romance.

Nascido da inspiração de Jeff Howe, autor de O Poder das Multidões e um dos editores da revista Wired, acaba de ser lançado o programa Um Livro, Um Twitter. Ao longo do último mês, os leitores votaram para escolher a obra que será lida para o projeto, e o vencedor foi o romance Deuses Americanos, fantasia de Neil Gaiman que superou concorrentes como Fahrenheit 451, de Ray Bradbury, Matadouro 5, de Kurt Vonnegut, Song of Solomon, de Toni Morrison, e O Deus das Pequenas Coisas, de Arundhati Roy.

“O objetivo do Um Livro, Um Twitter é – como no programa que o inspirou, Uma Cidade, Um Livro – fazer com que uma verdadeira multidão leia o mesmo livro e o comente. Não se trata, por exemplo, de uma tentativa de fazer com que um público mais seletivo de amantes da literatura leia uma série de livros e se reúna em horários preestabelecidos para debatê-los”, explicou Howe no endereço Wired.com.

Moda
“Normalmente, programas de leitura de tamanho alcance são organizados com base na geografia. Seattle deu início à moda da leitura coletiva em 1998, quando incontáveis moradores da cidades leram O Doce Amanhã, de Russell Banks. Alguns anos mais tarde, Chicago deu prosseguimento à tendência com a leitura de O Sol É para Todos, de Harper Lee. Este programa de leitura de grande alcance tem como centro o Twitter, e despreza as limitações físicas.” Gaiman, cujo romance acompanha a história do ex-presidiário Shadow, que sai da cadeia e embarca numa bizarra jornada pelos Estados Unidos na companhia do misterioso sr. Wednesday, que afirma ter sido um deus, disse considerar o Um Livro, Um Twitter uma “grande ideia – uma espécie de clube do livro de alcance global”.

Entretanto, ele manifestou certa preocupação com a escolha de Deuses Americanos, afirmando estar “um pouco satisfeito e um pouco incomodado” com isto, pois “o livro é do tipo que divide o público. Algumas pessoas o adoram, outras parecem gostar menos, e outros leitores o detestam…”.

“Não é o tipo de livro que eu distribuiria a todos, porque as pessoas que o detestarem nada sabem sobre minhas obras anteriores – e poderiam gostar de Stardust, ou de Lugar Nenhum, ou de O Livro do Cemitério, ou da série Sandman – e provavelmente deixarão de procurar estas leituras”, explicou o autor em seu blog.

“Mas o livro foi escolhido, e de certa forma estou contente em poder ajudar a dar início a algo tão novo, e farei todo o possível para colaborar. Isso significa que hoje avisarei a todos os editores que já publicaram Deuses Americanos pelo mundo a respeito do programa e, nos próximos meses, manterei uma correspondência útil ou apologética via twitter para aqueles que ficarem encalhados na leitura, ou que se sintam ofendidos, ou apenas extremamente confusos.” O projeto Um Livro, Um Twitter está no endereço @1B1T2010 – que já conta com mais de 1.500 seguidores poucos dias depois de seu lançamento. O hashtag é #1b1t.

Fonte: Blog do Galeno

Nossa Loja Virtual