Continue reading " />

João Almino vence o Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura

Nem bem chegou a Madri, onde assumiu há 10 dias o cargo de cônsul-geral, e João Almino já teve que voltar ao Brasil. Mas o motivo foi bom: ele ganhou na noite desta segunda-feira, dia 22 de agosto, o cobiçado Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura por seu romance Cidade livre (Record, 2010). E vai levar R$ 150 mil na bagagem de volta. “Atravessei o Atlântico para vir aqui receber esse prêmio. É o melhor momento para um filho do Rio Grande do Norte vir ao Rio Grande do Sul e à cidade de Passo Fundo, que teve a ousadia de criar essas jornadas que são únicas”, comentou.
“Me sinto contente em estar em excelente companhia – não apenas dos que me precederam no prêmio, mas também com aqueles com quem concorri. Os 10 finalistas são todos excelentes escritores e autores de ótimos livros, disse Almino, autor de cinco romances (todos tendo Brasília como cenário), quatro deles premiados, e de outros livros de filosofia política.
A comissão julgadora é presidida pela professora Regina Zilberman e formada pelo escritor Ignácio de Loyola Brandão, coordenador de debates das Jornadas Literárias; José Luís Jobim de Salles Fonseca, professor titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professor Associado da Universidade Federal Fluminense; Miguel Sanches Neto, professor-associado de Literatura Brasileira na Universidade Estadual de Ponta Grossa; e Benjamin Abdala Junior, professor titular da Universidade de São Paulo e pesquisador do CNPq. A empresa Audisa Auditores Associados é a responsável pela auditoria da premiação.
Finalistas
Mais de 200 títulos concorreram com o de Almino. Na reta final estavam Adriana Lisboa, com o livro Azul-corvo (Rocco); Cristovão Tezza, com Um erro emocional (Record); Helder Macedo, com Natália (Azougue Editorial); João Silvério Trevisan, com o livro Rei do cheiro (Record); Luiz Ruffato, com Estive em Lisboa e lembrei de você (Companhia das Letras); Michel Laub, com Diário da queda (Companhia das Letras); Pepetela, com a obra O planalto e a estepe (Leya Brasil); Rodrigo Lacerda, com Outra vida (Objetiva); Rubens Figueiredo, com Passageiro do fim do dia (Objetiva).
Outros vencedores

Instituído em 1999, o primeiro prêmio foi conquistado por Sinval Medina, com a obra Tratado da altura das estrelas. Na edição seguinte, em 2001, dois autores dividiram a premiação: Antônio Torres (por Meu querido canibal) e Salim Miguel (por Nur na escuridão). O Passo Fundo Zaffari & Bourbon teve ainda como vencedores Plínio Cabral, na 3ª edição, em 2003, com o livro O riso da agonia; Chico Buarque de Hollanda – 4ª edição, 2005, pelo romance Budapeste; e Mia Couto – 5ª edição, 2007, com a obra O outro pé da sereia. A última edição foi vencida por Cristóvão Tezza e seu Filho eterno.

Fonte: Publishnews

Nossa Loja Virtual