Continue reading " />

Fórum das Letras debate a cultura africana

A influência africana na cultura brasileira, sobretudo em Ouro Preto, cidade essencialmente erguida pelas mãos dos escravos, será a marca da sexta edição do Fórum das Letras de Ouro Preto, que acontece entre os dias 10 e 15 de novembro, com participação de escritores de países de língua portuguesa. Entre os principais destaques da programação, estão os moçambicanos Mia Couto e Paulina Chiziane, a primeira mulher moçambicana a publicar um romance; e os angolanos Pepetela, Ondjaki, Carmo Neto, João de Melo, Adriano Botelho e João Maimona, entre outros. De Portugal, estão confirmados Luandino Vieira, Inocência da Mata e Margarida Paredes.

Fechando a aliança lusófona, participarão do encontro os brasileiros Ferreira Gullar, Alberto Mussa, Nei Lopes, Flávio Carneiro, Marina Colasanti, Laurentino Gomes, Décio Pignatari, Daniel Galera, Rafael Coutinho, João Paulo Cuenca, Luiz Antônio Simas, Ronaldo Correia de Brito, Clóvis Bulcão, Ricardo Aleixo, Affonso Romano de Sant’anna, Fabrício Marques, Júnia Furtado, Caio Boschi e Toninho Horta. A abertura, no dia 10, contará ainda com uma homenagem ao poeta mineiro Affonso Ávila.

O tema “África” foi pensado a partir da importância da interação entre os países de língua portuguesa, estimulado por uma série medidas quem vem sendo tomadas no âmbito cultural e político, com o intuito de desenvolver o diálogo entre estas nações. “O português é a quarta língua mais falada do mundo, mas a literatura produzida nos países lusófonos ainda não é muito difundida no mundo e nem mesmo nos próprios países de língua portuguesa dos três continentes. Por isso, o Fórum das Letras reforça sua missão de promover a interação cultural e literária entre os países que se irmanam no uso deste idioma.

Além disso, os países de língua portuguesa da África, assim como o Brasil, viveram a colonização e possuem problemas, questionamentos e expectativas semelhantes aos nossos. Por isso, é tão importante o diálogo entre essas nações e o conhecimento mútuo de suas realidades e manifestações culturais. Da mesma forma, os países do Mercosul, que buscam sua inserção no mundo de forma parecida com o Brasil, devem se juntar a nós em edições futuras.

O Fórum das Letras busca a construção de uma política de promoção e divulgação da cultura e da literatura brasileira, em interação com países cujos ideais se assemelham aos nossos”, adianta a diretora do Instituto de Filosofia, Artes de Cultura (IFAC) da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e coordenadora do Fórum das Letras, Profª Guiomar de Grammont.

Uma novidade desta edição do Fórum das Letras fica por conta da parceria entre a UFOP, entidade realizadora do evento, a Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG e a Pontifícia Universidade Católica de Minas – PUC Minas. As três instituições de ensino estão juntas na organização do IV Encontro de Professores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, que terá como tema “África: dinâmicas culturais e literárias”, entre os dias 8 e 11 de novembro, como uma prévia do que o encontro ouropretano pretende discutir. “Esta é uma parceria que estamos inaugurando com as universidades e esperamos dar continuidade a ela nos próximos anos”, afirma Guiomar.

Outro motivo de comemoração para o Fórum das Letras é a inserção do evento no calendário dos 300 anos de fundação de Vila Rica, hoje Ouro Preto. A programação teve início no dia 8 de julho de 2010 e se estende até 8 de julho de 2011, data em que o tricentenário de fundação de Vila Rica – até então um conglomerado de arraiais – será efetivamente completado. Além da programação oficial, o Fórum das Letras de Ouro Preto contará com a realização do Fórum das Letrinhas, Literatura em Cena, Via-Sacra Poética e Ciclo Bravo! de Jornalismo e Literatura. A intenção, ao expandir o evento, é integrar a literatura definitivamente à paisagem ouropretana.

Fonte: Publishnews

Nossa Loja Virtual