Continue reading " />

Atlas Linguístico do Ceará é lançado na Reitoria da UFC

O Atlas Linguístico do Estado do Ceará – ALECE, resultado de pesquisa que levou 17 anos para ser concluída e que se estendeu a várias regiões do Estado, foi lançado nesta quinta-feira, dia 20, às 19h, no auditório da Reitoria da Universidade Federal do Ceará. Em dois volumes, a obra é um mapeamento da língua falada no Ceará, com informações capazes de subsidiar estudos de linguistas, lexicógrafos, gramáticos, historiadores, sociólogos e pedagogos. O lançamento do ALECE, que recebeu apoio do Governo do Estado, através da Secretaria da Cultura, é parte da programação que a UFC promove pelos seus 55 anos de instalação, efeméride a ser comemorada em junho de 2010.

A ideia de elaboração do Atlas surgiu ainda nos anos 1970, dentro do Núcleo de Pesquisa e Especialização em Lingüística, do Centro de Humanidades da UFC. Nele se diferenciam os falares de homens e mulheres, de escolarizados e não-escolarizados. É o sétimo do Brasil, depois dos produzidos na Bahia, Minas Gerais, Sergipe, Paraíba, Paraná e Rio Grande do Sul. Sob coordenação do Prof. José Rogério Fontenelle Bessa, a equipe que liderou as pesquisas do Atlas é formada por alguns dos mais importantes estudiosos da área, como José Alves Fernandes, José Pinheiro de Souza, Alexandre Caskey, Hamilton Cavalcante de Andrade, Mário Roberto Zagari, Ignácio Ribeiro P. Montenegro e José Carlos Gonçalves.

A partir dos mais rigorosos critérios, o Atlas é um estudo aprofundado dos falares cearenses e de como eles se distribuem em nosso território, agregando-se ao patrimônio cultural cearense como um documento fundamental. Segundo Rogério Bessa, o projeto sempre teve objetivos linguísticos e educacionais. “Quando fomos buscar financiamento para a sua publicação, há alguns anos, sempre nos perguntavam sobre sua aplicabilidade. Posso dizer que um dos objetivos é o aproveitamento de seus dados para o replanejamento do ensino da Língua Portuguesa em nosso Estado”, diz o professor aposentado do Departamento de Letras Vernáculas da UFC.

No total, 67 municípios foram visitados. “O critério de participação era pertencer a distintas microrregiões homogêneas do Estado, como as de Sobral, Cariri ou Baixo Jaguaribe, que mantêm maior influência em suas áreas. Também comparamos o falar de regiões serranas e não-serranas. Fortaleza foi excluída por apresentar grande heterogeneidade linguística, e por isso não se configura como representativa da fala do Ceará”, explica José Pinheiro de Souza, professor aposentado do Departamento de Letras Estrangeiras da UFC.

Na ocasião do lançamento do Atlas, a Academia Cearense de Língua Portuguesa (ACLP) entregou a Medalha Hélio Melo, idealizador da entidade, ao Secretário Auto Filho e aos reitores da UFC Jesualdo Pereira Farias e Ícaro Moreira (in memoriam) pelo comprometimento com a cultura e o esforço para viabilizar a publicação da obra.

Fonte: Secult

Nossa Loja Virtual

As últimas do Twitter:

Em breve oitava edição em 20 anos de publicação do livro #HistóriadoCeará , autoria Prof. Aírton de Farias fb.me/1fyFGNoAD

À espera do Irma, empresário desabafa e relato comparando RJ a Miami viraliza @UOL noticias.uol.com.br/internacional/…

Focos de poesia no Brasil. Que tal acrescentar o seu grupo? Veja o app abaixo . fb.me/wVmVwvMr

Aniversário Armazém da Cultura: 8 aninhos 🍾🍀 pic.twitter.com/ToanE0qLCJ

Twitter Media

Publishnews indica uma alta por obras de autoajuda e infantojuvenis. Autor mais vendido:Edir Macedo nexojornal.com.br/grafico/2017/0… via @nexojornal

Por que Jane Austen ainda é tão lida, 200 anos depois de sua morte? fb.me/7BXt1iyiK

Por que Jane Austen ainda é tão lida, 200 anos depois de sua morte? www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2… via @folha

Links Sugeridos:

Livrômetro

58.620.865