Continue reading " />

Arte dedicada à delicadeza

30.11.2010
César Revorêdo, artista plástico com 30 anos de carreira, expõe em Fortaleza uma série de acrílica sobre tela, em que explora os conceitos de delicado, romântico e sublime

Após anos de instalações, cenografia e design, o artista plástico potiguar César Revorêdo volta à pintura em tela, na exposição Outros Contos. As 20 obras inéditas do artista estarão expostas a partir de hoje, às 19 horas. A mostra contará com visitas guiadas por estagiários e fica em cartaz até o dia 20 de dezembro.

César nasceu em Natal (RN), onde ainda reside e mantém seu ateliê. Com influências da arquitetura e do design, César conquistou reconhecimento nacional produzindo obras cenográficas para novelas da Rede Globo, como “Olho no olho”, “A próxima Vítima” e “Ti-ti-ti”, que atualmente ocupa a faixa das 19h.

Depois de inúmeros trabalhos com sobras de papelão, aço, madeira e tecido, o artista decidiu, há dois anos, retornar aos pincéis e representar nas telas temas como a delicadeza, o romantismo e o sublime.

“Antigamente, a arte era considerada o desejo pela perfeição. O artista era aquele que ansiava por ela, que a buscava. Hoje, com o mundo inteiro desejando a perfeição, o que restou para o artista foi o imperfeito. As sobras, que rendem, sim, maravilhosos trabalhos”, conceitua.

Segundo César, as pinturas da exposição “Outros Contos” buscam inspiração na observação de seu cotidiano e em alguns de seus hábitos. “Moro muito próximo a uma das maiores reservas ecológicas do País, lá em Natal, e os pássaros que habitam na reserva visitam meu quintal. Minha inspiração está nessas pequenas coisas, no canto dos pássaros e nos meus livros de cabeceira, que são todos de poesia”, comenta o pintor.

As telas recorrem ainda, majoritariamente, ao universo ori-ental: gueixas, samurais e as delicadas paisagens chinesas e japonesas. Para o autor, esse universo representa fortemente o conceito de delicado e de subliminar. “As gueixas são mulheres misteriosas; por elas é possível representar o visível e o invisível. Já os samurais, mesmo guerreiros, têm seu traço de feminilidade. São boas inspirações”, explica César.

MAIS INFORMAÇÕES

Mostra Outros Contos – César Revorêdo expõe, de hoje até o dia 20/12, no Armazém da Cultura (Rua Jorge da Rocha, 154, Aldeota). Contato: (85) 3224.9780

MAYARA DE ARAÚJO
ESPECIAL PARA O CADERNO 3

Fonte: Diário do Nordeste

Nossa Loja Virtual

As últimas do Twitter:

Em breve oitava edição em 20 anos de publicação do livro #HistóriadoCeará , autoria Prof. Aírton de Farias fb.me/1fyFGNoAD

À espera do Irma, empresário desabafa e relato comparando RJ a Miami viraliza @UOL noticias.uol.com.br/internacional/…

Focos de poesia no Brasil. Que tal acrescentar o seu grupo? Veja o app abaixo . fb.me/wVmVwvMr

Aniversário Armazém da Cultura: 8 aninhos 🍾🍀 pic.twitter.com/ToanE0qLCJ

Twitter Media

Publishnews indica uma alta por obras de autoajuda e infantojuvenis. Autor mais vendido:Edir Macedo nexojornal.com.br/grafico/2017/0… via @nexojornal

Por que Jane Austen ainda é tão lida, 200 anos depois de sua morte? fb.me/7BXt1iyiK

Por que Jane Austen ainda é tão lida, 200 anos depois de sua morte? www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2… via @folha

Levantamento mostra a diversidade de gênero, raça e nacionalidade dos artistas na história da arte nexojornal.com.br/grafico/2017/0… via @nexojornal

Links Sugeridos:

Livrômetro

58.620.865