Continue reading " />

“O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, de Saramago, será adaptado para o cinema

O realizador Miguel Gonçalves Mendes vai transformar em filme o romance “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, de José Saramago, e já tem um argumento adaptado para uma produção com equipa e elenco internacionais, disse à agência Lusa.

Publicado originalmente no SIC Notícias

“É o mais cinematográfico de todos os romances de José Saramago, é o que tem a estrutura para adaptar para cinema”, afirmou o realizador, que embarca neste projeto depois de ter rodado o documentário “José & Pilar”. O projeto está ainda numa fase inicial. Será produzido pela Jumpcut, produtora de Miguel Gonçalves Mendes, mas terá co-produção internacional. “Só assim faz sentido”, disse.

“A leitura da história é minha”, mas está lá a essência do romance do Nobel português que tanta polémica causou nos anos 1990: “A desconstrução da imagem de Jesus, a questão da culpa, do livre arbítrio, do Bem e do Mal, de estarmos perdidos, o próprio papel da mulher, injustiçada”, elencou o cineasta, ateu, de 32 anos.

Esta obra cinematográfica põe de parte as questões polémicas que se levantaram aquando da publicação do livro de José Saramago e aspira ser a simples transposição para cinema de uma das mais belas narrativas escritas em língua portuguesa”, lê-se na sinopse.

Miguel Gonçalves Mendes passou os últimos anos a acompanhar José Saramago e a companheira, Pilar del Río, filmando-os na esfera privada, quando o escritor preparava o romance “A viagem do elefante”.

Foi nessa altura que escreveu o argumento de “O Evangelho Segundo Jesus Cristo”, depois de várias conversas com o escritor e a jornalista: “Saramago era sempre renitente em relação às adaptações para cinema, mas lá fomos falando sobre o assunto algumas vezes”, recordou.

Na nota de intenções, Miguel Gonçalves Mendes afirma que “este filme é exatamente sobre a que ponto chega a crueldade humana, seja em nome do poder, do dinheiro, das relações ou de um deus”.

 

José Saramago, que morreu em 2010 aos 87 anos, assistiu a várias adaptações para cinema de textos dele, como “Jangada de Pedra”, “Embargo” e a produção internacional “Ensaio sobre a cegueira”, pelo realizador brasileiro Fernando Meirelles.

Agora é Miguel Gonçalves Mendes que avança com uma longa-metragem de ficção, sabendo que tem em mãos um projeto difícil, de elevado orçamento e, possivelmente, polémico.

“O Evangelho segundo Jesus Cristo”, publicado em 1991, conta a história da vida de Jesus, numa interpretação do texto religioso, mas a edição foi acolhida com muitas críticas por parte da Igreja Católica.

Na altura, o então subsecretário de Estado da Cultura, António Sousa Lara, vetou a candidatura do romance a um prémio literário, por considerar que atentava contra “a moral cristã”, tendo sido acusado de censura. A polémica culminou com a decisão de José Saramago abandonar Portugal, passando a viver desde então em Espanha, na ilha de Lanzarote.

Miguel Gonçalves Mendes disse estar preparado para enfrentar a mesma polémica quando o filme sair, mas por hora está ainda na fase de financiamento, e tem quase garantidas parcerias internacionais.

O financiamento não foi revelado, mas dada a vontade de ter um elenco e equipas internacionais à semelhança do que aconteceu com “Ensaio sobre a Cegueira” (protagonizado por Julianne Moore, Mark Ruffalo e Gael Garcia Bernal, o filme poderá tornar-se no mais caro do cinema português.

Miguel Gonçalves Mendes afirmou que o argumento que escreveu será agora entregue a um argumentista internacional para a escrita final. O elenco está já na fase de escolha, contará com alguns atores portugueses, mas sobretudo internacionais.

Miguel Gonçalves Mendes destacou a importância do narrador do filme, “uma espécie de consciência crítica e irónica que nos vai comentando a realidade a que assistimos. Percebemos apenas a meio do filme que a narração é do próprio Cristo, mas também do Diabo”.

Não há data de início de rodagem. O filme aguarda ainda apoio financeiro do Instituto do Cinema e Audiovisual.

Fonte: Blog Livros e Pessoas

Nossa Loja Virtual

As últimas do Twitter:

Em breve oitava edição em 20 anos de publicação do livro #HistóriadoCeará , autoria Prof. Aírton de Farias fb.me/1fyFGNoAD

À espera do Irma, empresário desabafa e relato comparando RJ a Miami viraliza @UOL noticias.uol.com.br/internacional/…

Focos de poesia no Brasil. Que tal acrescentar o seu grupo? Veja o app abaixo . fb.me/wVmVwvMr

Aniversário Armazém da Cultura: 8 aninhos 🍾🍀 pic.twitter.com/ToanE0qLCJ

Twitter Media

Publishnews indica uma alta por obras de autoajuda e infantojuvenis. Autor mais vendido:Edir Macedo nexojornal.com.br/grafico/2017/0… via @nexojornal

Por que Jane Austen ainda é tão lida, 200 anos depois de sua morte? fb.me/7BXt1iyiK

Por que Jane Austen ainda é tão lida, 200 anos depois de sua morte? www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2… via @folha

Levantamento mostra a diversidade de gênero, raça e nacionalidade dos artistas na história da arte nexojornal.com.br/grafico/2017/0… via @nexojornal

Links Sugeridos:

Livrômetro

58.620.865